Terror em Duque de Caxias

Desde ontem (26), após a morte do traficante Charles Jackson Neres Batista, vulgo Charlinho e, que foi o responsável pela morte de uma mulher grávida que chocou todo o país em 2017, quando este traficante foi indiciado pela morte de Arthur de Melo, bebê atingido por dois tiros, dentro da barriga da mãe, Claudineia dos Santos Melo, grávida de 39 semanas, quando esta voltava do mercado, na favela do Lixão, aqui em Duque de Caxias.

Hoje (27), um dia depois da polícia ter matado este marginal em confronto direto, Duque de Caxias vive sob o completo terror, com lojas fechadas, sem transporte e até com motoristas de aplicativos como Uber, 99 Taxi, e outros, que foram ameaçados de morte pelos comparsas deste traficante.

A ordem foi dada pela facção criminosa Comando Vermelho: as ruas foram tomadas de bandidos incendiando as ruas e depredando a ônibus e ao patrimônio público; vejam os vídeos abaixo:

Em relação ao velório do criminoso, foram feitas camisas pelos seus comparsas, com a foto do marginal, para prestarem homenagem ao mesmo e, foi imposto o luto forçado a toda a população dos bairros do Centro e adjacências do 1º Distrito de Duque de Caxias, ou seja, uma cidade com aproximadamente 1 milhão de habitantes, ficando refém e à mercê de marginais fortemente armados, que de acordo com a “grande mídia”, não podem ser abatidos “apenas” por portarem armas de guerra com fuzis e granadas.

Então, nós que somos da mídia alternativa e independente de Duque de Caxias e da Baixada Fluminense, gostaríamos honestamente de questionar: as pessoas que irão (compulsoriamente, ou não) ao velório do traficante irão ser presas por associação ao tráfico de drogas? E como fazer a distinção neste caso?

A maior demonstração de força do crime organizado em Duque de Caxias, além de todos os transtornos causados a população, foi a determinação do Juiz de Direito, Valmar Gama de Amorim, o responsável pelo Fórum da Comarca de Duque de Caxias, pelo FECHAMENTO IMEDIATO do cartório.

Segue na íntegra o comunicação assinado pelo Juiz mandando fechar o cartório na data de hoje:

Todos esses fatos aqui mostrados foram construídos durante 30 anos de governos esquerdistas em todo o território nacional, da política nacional de direitos dos humanos e do estatuto do desarmamento. É preciso colocar um fim nesta política de direitos humanos que coloca o bandido como herói ou ainda como “vítima da sociedade”.

É preciso que o Congresso Nacional e o Senado Federal aprovem leis mais duras contra criminosos, que acabem com todo e qualquer tipo de regalias a esses marginais quando presos, acabem com progressão de regime, audiência de custódia e que o bandido seja obrigado a trabalhar na cadeia durante todo o tempo preso.

Para além disso é preciso dar segurança jurídica para que nossos policiais possam fazer seu trabalho sem que sejam presos por “excessos” e claro, dar ao cidadão de bem o direito total de ter em casa e se quiser portar qualquer tipo de arma de fogo independente do calibre assim como é nos EUA, afinal, por que uma organização criminosa reina em absoluto em uma cidade de 1 milhão de pessoas como é Duque de Caxias a cerca de 40 minutos da capital cultural do país?

É notório, a população não tem sequer o direito sagrado da auto-defesa.

É notório que o terror vivido pelo cidadãos de Duque de Caxias tem que ter um fim ainda em 2019 e esperamos que o Senado e Congresso Nacional aprovem as devidas modificações na legislação para evitar que novos “Charlinhos” nem sequer tenham tempo de surgir.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.